dicas para alimentação

Dicas para alimentação durante a gestação

Manter o corpo bem nutrido e a saúde em ordem exige cuidados ainda maiores durante a gravidez. A Cris, da Maternité*, dá algumas dicas para alimentação importantes para as gestantes.

dicas para alimentação das futuras mamães:
  • Monitore a sua alimentação desde o primeiro mês de gravidez;
  • Alimente-se adequadamente. Isso reduz o desconforto digestivo e a ocorrência de náuseas e vômitos;
  • Prefira alimentos leves, com menor quantidade de gorduras e frituras;
  • Opte por alimentos assados, cozidos ou grelhados;
  • Alimente-se pelo menos a cada três horas;
  • Tenha sempre à mão uma barrinha de cereais ou uma fruta, ou ainda biscoitos salgados.
  • Coma devagar, mastigando bem os alimentos;
  • Consuma bastante líquido ao longo do dia, mas não durante as refeições;
  • Aumente o consumo de cálcio para, no mínimo, três xícaras de leite por dia, ou porções de outros laticínios (a indicação do consumo de cálcio é de 1.200 mg por dia: uma porção de 100 g de queijo branco, por exemplo, contém 685 mg de cálcio; 200 ml de leite equivalem a 228 mg, e 200 ml de iogurte têm 240 mg);
  • Reduza o consumo de sal (na preparação dos alimentos, em enlatados, salame, azeitonas, queijo parmesão). Sal em exagero aumenta a retenção de líquidos no organismo, provocando inchaço e pressão alta;
  • Consuma folhas cruas na forma de saladas temperadas com limão, que é fonte de vitamina C;
  • Consuma, pelo menos uma vez ao dia, grãos de feijão, lentilha, grão-de-bico ou ervilha (de preferência no almoço);
  • Aumente a ingestão de fibras (cascas, bagaços, sementes de frutas e verduras cruas, frutas secas, cereais integrais);
  • Procure não se deitar ou sentar logo após as refeições.

 

aleitamento materno

* Cristiane Alves dos Santos é enfermeira neonatologista e especialista nessa fase tão linda da gestação e primeiros cuidados com o bebê.

A Cris é a linha de frente da Maternité, consultoria e assistência materno-infantil, de Caxias do Sul.

7 crenças sobre o aleitamento materno

Vamos começar desmistificando o que falam sobre Aleitamento Materno.

Amamentar não é tarefa fácil e isso não é novidade para ninguém. Mas é possível! 🙌🙌🙌

Mais difícil do que amamentar neste período tenso do pós-parto imediato, principalmente é lidar com as crenças das outras pessoas e que as mulheres acabam absorvendo e tomando por ser uma verdade absoluta.

 

Aqui seguem algumas respostas para as SETE principais crenças que envolvem o Aleitamento Materno.

 

“MEU LEITE É FRACO”

Não existe leite fraco! Existem tipos diferentes de leite. Cada mãe produz o leite ideal para o seu bebê. Não para o bebê da vizinha, da amiga, ok? Então fique tranquila, as fases de ajuste servem para isso: adaptação, paciência e muito amor. O bebê vai aceitar o que você oferecer. Então ofereça o seu melhor: leite, amor, carinho, proteção e afeto!!! Você vai receber tudo isso em dobro. 💛

 

“EU ACHEI QUE SABER AMAMENTAR ERA NATURAL”

Amamentar não é fácil, não está escrito em prescrição e nem é igual receita de bolo. É experiência, entrega, dedicação e querer! Isso mesmo – QUERER!!!

Natural é o peito encher de leite, hormônios produzirem, o bebê nascer e ter colostro. Mas o desejo de amamentar é o que faz a diferença para a amamentação continuar, precisa do hormônio do prazer, de desejar amamentar e superar as dificuldades que estão por vir para conduzir esse processo com o seu bebê.

 

“EU TENHO PRÓTESE E ME DISSERAM QUE NÃO VOU CONSEGUIR AMAMENTAR”

É o que de mais absurdo se pode fazer com uma mulher que fez colocação de prótese: invalidar essa mulher, esse desejo e dizer “NÃO” é quase criminoso. Podem haver algumas dificuldades no aleitamento materno, algumas particularidades do caso, mas é preciso acontecer para depois julgarmos e pensarmos juntas na possibilidade de não amamentar.

 

“EU FIZ REDUÇÃO E DISSERAM SER IMPOSSÍVEL AMAMENTAR”

Impossível? Que cruel! Nada é impossível quando queremos. A redução pode trazer algumas dificuldades ou não. Mas é preciso acontecer esse processo, essa relação com a amamentação e a partir daí observarmos o que há necessidade de ser feito.

“TUDO O QUE EU COMER VAI PASSAR NO LEITE”

Isso não é verdade! A mulher não pode fazer restrição alimentar por pensar que tudo o que comer vai passar no leite materno, não! Há casos em que essa mulher mesmo antes de engravidar já tinha hábitos restritivos alimentares – aí sim, mas nada a ver com o leite materno. Até porque, minha gente, amamentar dá uma fome de leão e não há mãe que resista livre demanda e dieta restritiva juntas. Nesse momento não combinam. O que combina sim é equilíbrio, bom senso e amamentação.

 

“MEU LEITE SECOU”

Isso é mais antigo que a humanidade. O leite só acaba se o bebê não mamar ou não houver o mínimo de estímulo para manter essa produção. Então vamos parar de reproduzir e usar essa bengala que os outros querem nos emprestar.

Outros fatores importantes para o leite secar são:

  • Mãe e bebê não estarem juntos integralmente desde o nascimento.
  • Estabelecer horários para o bebê mamar e fazer intervalos longos entre as mamadas.
  • Falta de apoio dos que rodeiam a mulher (parceiro (a); pediatra, obstetra, família palpiteira 😋 ).

Se você tem medo do leite secar, então:

  • Informe-se na gestação.
  • Pratique a livre demanda: não estabeleça horário!!! Isso é essencial nos três primeiros meses de vida.
  • Realize contato pele-a-pele antes da mamada.
  • Não faça uso de chupetas, mamadeiras e outros bicos por pelo menos 8 semanas.
  • Amamente exclusivamente durante os 6 primeiros meses de vida.
  • Tome cuidado com “conselhos” de leigos, curiosos e pediatras mal preparados.

 

“amamentação É COISA DE POBRE”

Não há nada mais rico do que amamentar o seu bebê – CREIA NISSO! Não é moda também amamentar, o que há é um grande incentivo por parte de uma sociedade atenta às necessidades mais básicas, como – ALIMENTAÇÃO DE QUALIDADE. Economia que gera recursos para outras necessidades do bebê, beneficia o meio ambiente, previne internações hospitalares desnecessárias e ainda promove um lindo vínculo entre mãe e bebê. Onde está a pobreza nisso tudo? Eu só vejo riqueza. 😍

O leite materno é o alimento perfeito para seu bebê!

Amamentar não é coisa de pobre, é coisa de gente rica de informação!

 

aleitamento materno

* Cristiane Alves dos Santos é enfermeira neonatologista e especialista nessa fase tão linda da gestação e primeiros cuidados com o bebê, como o aleitamento materno.

A Cris é a linha de frente da Maternité, consultoria e assistência materno-infantil, de Caxias do Sul.

9 dicas para visitar um recém-nascido

O nascimento de um bebê é uma grande alegria – 💜 newborns aqui no Studio 7, mas também uma mudança grande para mamães e papais. Nós te damos 9 dicas para quando for visitar um recém-nascido:

 

  • Se você não for uma pessoa íntima do casal não visite o bebê no primeiro mês – deixe espaço para os familiares visitarem nesse período.
  • Nunca peça para carregar o bebê no colo – só se os pais oferecerem.
  • Nunca visite o bebê à noite. Aliás, combine com os pais a visita, eles indicarão o melhor horário.

 

  • Faça uma visita breve – não é recomendado prejudicar a rotina do bebê.
  • Deixe bebê e mamãe sozinhos nas horas de mamadas. 😌
  • Nunca visite um recém-nascido se estiver gripado. 😷

 

  • Não beije um bebê – o sistema imunológico dele ainda está se desenvolvendo.
  • Aliás, não passe perfume nem vá visitar um bebê com cheiro de cigarro. 😝
  • Quer fazer uma foto com o bebê? Peça permissão aos pais, e desligue o flash. 💜📷